Jogo de Torneio #161 – Supporter Week Trophy

Décimo e último jogo na tradicional SWT [tournamentid=2108472], temporada 4.

O Mengo/Várzea se despediu com a segunda derrota seguida frente a um time da IV Divisão da Suíça, dessa vez por 2-3.

Ao final do Torneio, o Mengo/Várzea Medicina 3012 terminou em 3915 dentre 18906 equipes, com 6 vitórias e 4 derrotas, 34 gols marcados e 20 sofridos, nenhum hat-trick.

Seguindo seus treinos durante a semana, o(a) Mengo/Várzea decidiu ir com um 2-5-3, e a lista dos titulares é: Coenegracht – Kolmeijer, Schabhuettl – Igot, Fitzakerly, Lima Pinto, Giuradei, Egozi – Pipa, Vilhena, Godoy.

Pela movimentação dos jogadores em campo parece que a equipe do(a) Polpettonidecidiu entrar com um 3-5-2 , confira comigo a escalação: Yarmolenko – Pinho, Borowik, Domínguez – Törőcsik, Waggershausen, Westgård, Lalchevski, Mihăilescu – Diangana, Yola.

Mengo/Várzea decidiu lançar mão de seus talentos e para tal resolveu utilizar de toda sua criatividade. Após 25 minutos de jogo, József Törőcsik avançou rapidamente e colocou a bola no peito de Barış Yola, que não desperdiçou a oportunidade. O resultado está agora em 0 a 1. João Lima Pinto mostrou grande espírito de sacrifício e parecia não se importar com a chuva. Todo enlameado, trazia nos olhos a fúria e a determinação dos loucos, jogou como um gigante e demonstrou um prazer ímpar ao deslizar pelas poças do gramado encharcado. Antônio Rogério Pipa do(a) Mengo/Várzea quase empatou a partida aos 35 minutos depois de uma boa jogada na direita, mas sua finalização bateu no travessão e saiu. O jogador do(a) PolpettoniHoracy Borowik, recebeu um cartão amarelo e algumas palavras duras do árbitro depois de uma forte entrada sobre um adversário aos 37 minutos. Barış Yola chegou perto de aumentar a vantagem do(a) Polpettoni aos 38 minutos quando sobrou totalmente livre na cara do gol, tentou dar um chapéu em Raymon Coenegracht, mas a bola pegou no travessão e foi pra fora. 40 minutos: Arthur Vilhena cobrou com perfeição o córner e aí não tem conversa. Antônio Rogério Pipa, lembrando o grande Jardel, subiu mais alto que todo mundo e mandou a redonda pro fundo do gol. 1 a 1.Elías Domínguez esteve perto de marcar para os visitantes no 41º minuto depois de uma jogada individual pelo meio, mas Raymon Coenegracht, com um pequeno toque, desviou para escanteio. O árbitro pediu a bola, apontou para o centro do campo e disse que não há tempo para mais nada. Placar parcial: 1 a 1. Será que a equipe Mengo/Várzea é treinada pelo Pep Guardiola? O fato é que eles dominaram estes últimos minutos com 55% de posse de bola.

66 minutos: um balde de água fria para a torcida local quando Florin Mihăilescu do(a) Polpettoni deu a vantagem aos visitantes, 1 a 2 depois de um trabalho bem desenvolvido pela direita. Aos 67 minutos de jogo João Lima Pinto avança sozinho pelo meio da zaga do time visitante, empatando em 2 a 2. Na comemoração ele agarrou a bandeira de escanteio e dançou tango com ela. Olaf Waggershausen do(a) Polpettoni com um chute fortíssimo da entrada da área aos 72 minutos já comemorava, mas Raymon Coenegracht se recuperou rapidamente e impediu o gol.Aos 73 minutos, Barış Yola do(a) Polpettoni chegou atrasado em uma dividida, inevitavelmente cometendo uma falta dura. O juiz considerou a falta intencional e ‘amarelou’ o jogador! Visivelmente nervosos, alguns jogadores do(a) Mengo/Várzeatrocavam olhares como se procurassem alguém para acalmá-los. Um balde de água fria para a torcida da casa aos 81 minutos! Eles se calaram quando o jogador do(a) PolpettoniBarış Yola, deu a vantagem para os visitantes. 2 a 3, depois de bela jogada pela direita. O(a) Mengo/Várzea tentou responder com bolas enfiadas pelo meio, mas a defesa visitante parecia uma muralha (85 minutos). Ai! Essa doeu até em mim. Cartão amarelo para Arthur Vilhena no 89º minuto, justíssimo. A torcida da equipe da casa vibrou quando a investida pelo meio de Zivko Lalchevski aos 89 minutos resultou numa das melhores defesas do dia feita pelo goleiro. Bravo! As luzes se apagam e mais um espetáculo da bola chega ao fim. O público presente nas cadeiras aplaude o placar, que mostra 2 a 3. Mengo/Várzea demonstrou melhor intimidade com a bola e a manteve nos pés por 54% durante o final deste tempo.

Pelo(a) Mengo/VárzeaJoão Lima Pinto fica com o prêmio Trivelão, dado para o melhor jogador da partida, enquanto que o Michael Egozi leva o prêmio Botinha Anatômica pela sua atuação ridícula em campo. Kader Diangana, do(a) Polpettoni deu um show à parte, desconcertando a todos com seu jogo de encher os olhos, já António Pinho não teve perdão da torcida depois de pisar na bola, tropeçar sozinho e tocar a bola insistentemente para o juiz.

Detalhes de desempenho

Meio-campo fenomenal (alto) excelente (mt. alto)
Defesa direita formidável (baixo) formidável (mt. baixo)
Defesa central excelente (baixo) sobrenatural (mt. alto)
Defesa esquerda fenomenal (mt. baixo) fenomenal (mt. baixo)
Ataque direito excelente (mt. baixo) brilhante (baixo)
Ataque central sobrenatural (baixo) fenomenal (baixo)
Ataque esquerdo boa (mt. baixo) brilhante (alto)
Tiro livre indireto
Defesa fenomenal (alto) formidável (mt. alto)
Ataque fenomenal (alto) razoável (mt. baixo)
Orientação
Tática Jogar com criatividade Normal
Nível (nenhuma tática)
Estilo de jogo neutro 100% ofensivo

Reações da comunidade

Ninguém escreveu um comunicado de imprensa sobre isso ainda.

Publicar um comunicado de imprensa sobre essa partida

Destaques

0 – 1 Barış Yola 25′
1 – 1 Antônio Rogério Pipa 40′
1 – 2 Florin Mihăilescu 66′
2 – 2 João Lima Pinto 67′
2 – 3 Barış Yola 81′
1 cartão amarelo Horacy Borowik 37′
1 cartão amarelo Barış Yola 73′
1 cartão amarelo Arthur Vilhena 89′

Posse de Bola

55%
45%
54%
46%

Distribuição de chances

Mandante Visitante
6 9
2 Ataque esquerdo 1
2 Ataque central 3
1 Ataque direito 3
0 Outro 1
1 Eventos especiais 1

About mengomengo