About Author: taquaraco

Posts by taquaraco

0

Desandou a maionese

Uma característica peculiar do presidente do Taquaraço é o seu pessimismo e cautela. Enquanto qualquer outro dirigente enxergaria uma mar de flores,
o dirigente máximo taquarense se preocupa com o enxame de abelhas. Mas dessa vez, mesmo o mais otimista torcedor alviverde poderia pressentir o perigo:
liderança invicta e seis pontos na frente do segundo colocado, melhor ataque, melhor defesa, base da seleção do campeonato… Alguma coisa ruim estava pra acontecer.
Nunca nada veio fácil para o time da sinuca.

E não seria mesmo dessa vez. Em partida válida pela abertura do returno do campeonato, o Taquaraço tropeçou fora de casa na equipe do South Soccers, e a muito custo conseguiu
um empate em 3×3, após ficar três vezes atrás no placar. Como notícia ruim nunca vez só, o goleiro Andrew MacMath se lesionou gravamente durante a partida e aos 37 anos pode estar dando adeus aos gramados. Além disso, a linha de repescagem ultrapassou o Taquaraço e está agora 1 ponto a frente do alviverde. Embora a campanha ainda seja boa, muitos torcedores já comentam a má fase do outrora artilheiro do certame, Pekka Sääksvuori. O jogador ficou três partidas inteiras sem marcar, e embora tenha marcado um tento nesta última partida, parece já não ter o mesmo brilho do começo do campeonato.

Conseguirá o Taquaraço se recuperar deste revés? E o desempenho na Copinha, será abalado pelo tropeço no campeonato nacional? Respostas para essas e outras perguntas você confere daqui há uma semana, neste mesmo bat-canal.

0

Taquaraço dispara na liderança

A torcida taquarense não poderia estar mais satisfeita. Terminado o primeiro turno do campeonato nacional, a equipe alviverde ocupa a primeira colocação de seu grupo, nada mais nada menos do que SEIS pontos a frente do segundo colocado, o Hellmann’s RC. A equipe da maionese vem em ascensão, tendo vencido seus três últimos confrontos e sapecado quatro gols na decadente equipe Do Valle FC, outrora líder do grupo.

– Essa reação não nos surpreende em nada. Sempre soubemos que as melhores equipes do grupo, além do Taquaraço, eram o Hellmann’s e o Arctico – explicou o treinador John Hardman na coletiva após a fácil vitória taquarense por 5×1 contra o South Soccers.

O fato é que o time da sinuca caminha a passos largos para mais um título da V divisão. Melhor ataque, melhor defesa, artilheiro, espinha dorsal da seleção do campeonato… A maior preocupação da Taquarada parece ser a linha da repescagem. Atualmente o último classificado direto para a IV divisão está 1 ponto e 3 gols de saldo atrás do alviverde.

0

Participação na Copinha

Nota de última hora: Taquaraço confirma participação na XVI edição da Copinha de Amistosos de Amigos do Bi-Finado Kickers. Dirigentes ainda não se manifestaram sobre a estratégia dessa vez. Há quem diga que não será montada nenhuma estratégia, tendo em vista que nenhuma estratégia até agora deu certo com o alviverde na competição.

– Ainda bem que dessa vez não tem Xícara. – resumiu bem um dos poucos torcedores que acompanhavam o treinamento hoje pela manhã.

0

Liderança e promoção direta

O Taquaraço confirmou seu amplo favoritismo e goleou em casa o time do Fianna. Pekka passou em branco, mas se manteve isolado na artilharia do campeonato com 50% a mais de gols que o segundo colocado. A rodada poderia ser apenas mais uma na caminhada do alviverde rumo à IV divisão, mas foi marcada por fatos importantes.

Primeiro, a maré de sorte finalmente abandonou o Do Valle e foi banhar o azarado time do Arctico. Dessa vez não deu zebra e o melhor time levou os 3 pontos. Melhor para o Taquaraço, que com o tropeço do então líder subiu uma posição da classificação e pela primeira vez dorme na liderança.

Por outro lado, vários líderes da V divisão parecem também ter tropeçado na rodada, e a linha de promoção direta subiu nesta rodada apenas um ponto. O Taquaraço está ligeiramente acima desta linha, com mesmo número de pontos e saldo que o primeiro time não promovido diretamente, mas 3 gols a favor de vantagem. Posição 125 de 128: Parece pouco, mas agora “basta” manter essa diferença pra poder comemorar o inédito acesso a IV divisão.

Por fim, cabe registrar o gradual aumento de jogadores taquerenses nas seleções do campeonato a cada rodada. Se nas primeiras rodadas apenas Leslie Kuijvenhoven figurava entre os melhores da competição, agora já são 4 atletas alviverdes formando a espinha dorsal da seleção (os 2 meio-campistas, lateral e ala). Os outros clubes conseguem escalar 1 ou no máximo 2 jogadores naquele que é considerado o escrete dos sonhos. Quer dizer, dos sonhos no papel, pois na prática é o Taquaraço o time que tem se mostrado dos sonhos pra qualquer um de seus torcedores.

0

Primeiros tropeços da temporada

Nesta última semana ocorreram os primeiros tropeços da temporada taquariana. O alviverde sofreu dois resultados inesperados consecutivos, o que abalou a confiança da torcida. O primeiro ocorreu na Quarta-feira, com derrota por 2×0 fora de casa na Copa do Brasil, que eliminou o time da competição. Os torcedores taquarenses se perguntam quais os motivos dos pífios resultados da equipe neste torneio. O discurso da direção é que a política de renovação do plantel leva o clube a utilizar o certame para lançar suas jovens promessas, priorizando desta forma o campeonato nacional. De qualquer forma, tem torcedor que nem lembra mais a última vez que viu jogo da Copa do Brasil na Arena da Caçapa…

Mas o revés mais significativo veio no Domingo. O Taquaraço jogou de sangue doce em casa contra o Vasco da Gama, vice-lanterna do grupo. Logo aos 2 minutos, Pekka abriu o marcador, mais um gol para se consolidar como artilheiro da competição. A equipe cansou de perder gols no primeiro tempo, e a velha máxima do futebol se mostrou mais uma vez verdadeira: quem não faz, leva. Aos 12 do segundo tempo o Vasco empatou, e aí não teve santo que fizesse a bola entrar. Resultado final: água no chope da Taquarada, que viu o Todo Poderoso empatar em casa com um candidato à rebaixamento.

– É inadimissível perder pontos em casa dessa forma. Parece que o time não faz questão de subir direto para a IV divisão. – foram as únicas palavras do técnico da equipe na coletiva após o jogo. Soco na mesa e chute na porta: os boleiros devem ter ouvido poucas e boas após praticamente jogar o esforço da direção em trocar de grupo no lixo.

0

Ficou na repescagem, mais uma vez

O Taquaraço não é o clube com mais sucesso com repescagens. Pela quinta vez em sua história, o alviverde disputou o jogo extra que define a troca de divisão entre duas equipes. E pela terceira vez em sequência, acabou não saindo com o resultado esperado. Embora não admitido publicamente, o resultado de certa forma já era esperado pela comissão técnica. Além do desgaste natural dos atletas pelo acúmulo de jogos decisivos pelo título, o time não pode contar com os serviços de seu melhor meio-campo (Tommi Änäkäinen), suspenso com 3 cartões amarelos.

A derrota por 2×0 fora de casa para a boa equipe do Recifetronic não foi considerada um vexame, mas reforçou no clube a convicção que para poder acessar a IV divisão nacional, será preciso ser um dos melhores campeões e evitar surpresas com a repescagem. A estratégia foi repetida como um mantra em entrevistas após o jogo: o caminho mais fácil para a promoção é patrolar os adversários da mesma divisão durante toda a temporada, e não arriscar tudo em um jogo contra um time eventualmente forte.

Na semana seguinte à repescagem, a diretoria do clube realizou diversas reuniões a portas fechadas. E na Quinta-feira, o presidente divulgou uma medida extremamente arrojada. A direção avaliou que o grupo em que o clube foi campeão na V divisão possuía muitas equipes qualificadas – Discípulos, Abará, Ssntos, Kravnos – que poderiam tirar pontos preciosos na corrida contra a linha da promoção automática. Assim sendo, o Taquaraço aproveitará uma brecha do regulamento do campeonato nacional e trocará de grupo! Isso mesmo, o alviverde não mais disputará o grupo V.219 mas sim o V.22, considerado pelos dirigentes como tecnicamente mais fraco. O técnico John Hardman desconversou:

– Não tem essa de grupo mais fraco ou mais forte. Pode-se no máximo falar em grupo mais homogêneo. Um taquara nunca foge da raia, apenas queremos novos desafios e ganhar um troféu de outro grupo da V divisão, não apenas ganhar outro caneco que já temos na sala de troféus. Já temos dois de grupos diferentes na VI, por que não dois da V?

O fato é que a missão de repetir a conquista deve ser ainda mais difícil. Por problemas no fluxo de caixa, o clube não saiu às compras na janela de transferência ao final da temporada. Nenhum reforço de lotar aeroporto chegou a Arena da Caçapa. O único reforço foi Guillaume Marien, jovem lateral para compor grupo. A equipe conta com basicamente o mesmo plantel da temporada anterior, apenas mais envelhecido.

Essa aliás foi outra constatação das reuniões realizadas pela direção: embora não tenha havido queda do valor de mercado do plantel, a idade média dos jogadores do clube aumentou sensivelmente desde o início da última temporada. A meta passada para o treinador é tentar aproveitar melhor as categorias de base (atiradas as traças nas últimas temporadas), prospectar jovens valores de outros clubes, dispensar jogadores mais velhos. Ou qualquer medida que baixe a idade média da equipe, considerada excessivamente elevada pelos mandatários do alviverde.

0

Barba, cabelo e bigode!

Emocionante. Poucas palavras conseguem expressar tão bem o que foi a noite do dia 8 de Dezembro de 2013 para cada um dos torcedores taquarenses. O Taquaraço buscava o maior título de sua história, ser campeão do grupo V.219 do campeonato nacional. E o taça veio. Não antes sem uma boa dose de dramaticidade.

O alviverde entrou na partida final do torneio não dependendo apenas de si para ser campeão. O clube estava um ponto atrás da equipe dos Discípulos de Chuck Norris, apesar de tê-la goleado impiedosamente por 6×2 na décima rodada e ter assumido a liderança na ocasião. Um tropeço fora de casa para a equipe do Ssntos na rodada seguinte permitiu que os seguidores de Norris pudessem ultrapassar o time taquarense. Além disso, a equipe estava empatada em pontos com a equipe do Abará, estando apenas na sua frente por 2 gols a mais de saldo. Qualquer um dos três clubes poderia sair campeão na última rodada. Abará e Discípulos se enfretariam, e o Taquaraço disputaria sua sorte contra o Kravnos Rebirth fora de casa.

Após ter sido massacrada na primeira rodada da competição, a equipe do Kravnos estava com os 8×1 atravessados na garganta e certamente queria botar agua no chope taquarense. A Taquarada invadiu em peso o estádio local, situado também no Rio Grande do Sul. E enquanto todos os olhos acompanhavam às jogadas no campo, os ouvidos estavam atentos nos rádios que informavam o resultado paralelo que precisava acontecer. Não havia como ser campeão se os Discípulos de Chuck Norris vencessem o seu jogo. E logo aos 2 minutos de jogo boa parte do estádio entrou em festa: 1×0 Abará, o Taquaraço agora dependia apenas de suas próprias forças para ganhar o título! Só que em pouco tempo o que parecia ser motivo de alegria se transformou em motivo de preocupação: com 13 minutos de jogo, o Abará já vencia por 3×0 e parecia que iria patrolar o antigo primeiro colocado. A pequena vantagem taquarense no saldo de gols havia sido evaporada, e talvez fosse preciso correr atrás de um escore dilatado para sair campeão. Mas e quanto estava o jogo entre Kravnos e Taquaraço mesmo? Ah sim, o 0x0 persistia no placar, com o alviverde não conseguindo pressionar o time mandante.

Foi então que, com 21 minutos, Yiorgos Fintanidis, o melhor lateral do campeonato, resolveu subir ao ataque como elemento surpresa e fazer o que os atacantes não estava conseguindo. Gol do Taquaraço, festa de quase metade do estádio. O Taquaraço estava saindo campeão! Mas a alegria alviverde durou pouco. Num lance fortuito, o time da casa chegou ao empate aos 28 minutos do primeiro tempo. Apreensão. O jogo seria difícil e o Kravnos venderia caro esse título. O primeiro tempo seguiu com poucas chances, e ao apito do juiz o clube taquarese ia para o intervalo com um amargo empate que deixava a taça lhe escorrer pelos dedos.

As instruções dadas no vestiário pelo treinador fizeram muito bem para a equipe alviverde, que voltou elétrica para o segundo tempo. Com apenas 2 minutos, uma jogada ensaiada pelo técnico há instantes foi executada com perfeição e deixou o lateral Cálico Benítez livre pra marcar o gol que seria do título! Domínio completo do Taquaraço, que além de não deixar o Kravnos jogar, ainda descia o sarrafo na equipe mandante. A torcida cantava sem parar, apesar de sempre estar ligada no outro jogo. Cada subida ao ataque do Abará era motivo de segurar a respiração e torcer contra. O Taquaraço estava sendo campeão sim, mas tinha o mesmo número de pontos e mesmo saldo que o Abará, ficando com o título apenas pelo critério de gols marcados! Era preciso correr contra o tempo e marcar mais gols.

Pelo rádio, o prognóstico não era bom: o Abará surpreendentemente não jogava bem, mas se segurava bem e parecia que a qualquer momento o quarto gol poderia surgir. E se no começo do jogo a torcida era contra o Discípulos, agora tudo o que a Taquarada queria era um golzinho de honra deles pro título ficar mais garantido. O técnico John Hardman realizou então duas substituições para oxigenar o time: por volta dos 20 minutos, Buchanan e Brkovic entraram para tentar ampliar o placar e assegurar o caneco. A equipe passou a amassar ainda mais o time da casa, e aos 26 minutos não teve jeito: Richard Van Staden de Wit, ele, a contratação mais cara para a temporada, fuzilou o goleiro adversário e fez o 3×1 que encaminhava o caneco para a Arena da Caçapa. Os torcedores mal tinham acabado de comemorar quando pelo rádio chega o grito que todos queriam ouvir: gol do Discípulos! Nova comemoração nas arquibancadas. E o que já era festa virou carnaval. Marko Brkovic, o artilheiro, o predestinado, disparou uma verdadeira bomba e trouxe a goleada. Praticamente toda a torcida da casa começou a se retirar, humilhada por tomar de quatro e ser goleada mais uma vez pelo rival gaúcho. Quatro a um Taquaraço, a torcida visitante já podia soltar o grito de campeão! O Kravnos estava conformado com a superioridade alviverde em campo, e para ser campeão o Abará precisaria fazer 7×1 em pouco mais do que 15 minutos. O título era do Taquaraço!

Mas então, por uma dessas peças que o destino prega, o Abará parou em campo. Talvez a equipe tenha ficado sabendo do resultado paralelo que tirava completamente as chances de título. Ou quem sabe a correria dos primeiro minutos para buscar a goleada tenha cobrado seu preço no final de jogo. Mas o fato é que os seguidores de Chuck Norris passaram a ter ainda mais volume de jogo. A acuar cada vez mais o time visitante em seu próprio campo. E o temor que nem o mais pessimista torcedor taquarense poderia imaginar começou a tomar forma. Aos 37 do segundo tempo, Discípulos descontam mais uma vez, 2×3. E aos 40 minutos chegam ao empate. Silêncio absoluto no estádio do Kravnos: a torcida taquarense havia esquecido completamente o jogo que acontecia diante de seus olhos. Todos os pensamentos estavam no empate improvável que estava acontecendo há milhares de quilômetros dali. Mais 5 minutos de bola rolando, e um quatro gol do Discípulos poderia tirar o título que antes parecia tão certo.

E não demorou pro pior acontecer: numa bobeada da zaga do Abará, aos 42 minutos Avichay Tikva faz um gol de chiripa e vira o jogo para o time de Chuck Norris. Virada épica que dava o campeonato para sua equipe. Seria possível ouvir um alfinete caindo no chão no Nocturnian Pleasure Dome, estádio do Kravnos. O troféu, que desde os 2 minutos de jogo se alternava nas mãos de Taquaraço e Abará, acabava nos últimos minutos do campeonato voltando para a sala de troféus do Discípulos. A taça havia sido arrancada das mãos do Taquaraço, e não havia nada que o time pudesse fazer em campo.

A supremacia dos Discípulos continuava, com a equipe não tirando o pé do acelerador após o gol da virada. Foi ai então que, aos 44 minutos, faltando portanto segundos para o final do jogo, quando a equipe da casa atacava mais uma vez em bloco em busca do quinto gol, o meio-campo do Abará roubou a bola e deu um balão em busca do contra-ataque. A zaga percebe atônita Sebat Nisa recolhendo a bola e ficando frente a frente com o goleiro. Segundos intermináveis para cada torcedor da Taquarada. E o improvável aconteceu: GOL DO ABARÁ. Torcedores do Taquaraço se jogam no chão chorando e agradecendo à divina providência por esse gol no último minuto da partida. Depois disso não houve tempo para mais nada: apito final nas duas partidas, Taquaraço campeão!

Um final de campeonato surpreendente, histórico, único. Que veio coroar uma temporada muito bem organizada pelo clube taquarense. Ninguém jogou mais nos momentos decisivos do que a equipe da Arena da Caçapa. O clube ainda alcançou a artilharia da competição: chuteira de ouro para Pekka Saksvori e chuteira de bronze para Marko Brkovic, que havia sido artilheiro dos campeonatos das duas ultimas temporadas. O clube ainda possui o melhor jogador do torneio, Tommi Anakeinen. O atleta figurou na seleçao da rodada mais do que qualquer outro jogador, 13 aparições em 14 possíveis – o meia taquarense deixou de figurar apenas na seleção da primeira rodada, justamente na goleada acachapante de 8×1 do Taquaraço sobre o Kravnos.

São noites como essa que tornam o futebol tão especial. O Taquaraço chegou a última partida do campenato atrasado na tabela por conta de uma derrota inesperada na oitava rodada contra o Abará, jogando melhor que o adversário. E quis o destino que justamente na última rodada, no apagar das luzes, o Abará fosse buscar um empate fora de casa contra o Discípulos no último minuto de jogo e coroar a temporada taquarense.

E o resto, é faixa no peito e taça no armário.

0

Temporada de transição

O Taquaraço reestreiou na V divisão com uma boa campanha. O terceiro lugar garantiu um final de temporada mais tranquilo para a torcida, que em todas as participações anteriores do clube na V divisão teve que conviver com as incertezas trazidas pela disputa de repescagem de rebaixamento. O clube alimentou esperanças de título até a última rodada, dependendo de vitória e dois resultados paralelos para conseguir o troféu logo na sua volta para a divisão. A parte do Taquaraço foi realizada (vitória tranquila sobre o PANTERA NEGRA). Entretanto, tanto InSunOs quanto Discípulos de Chuck Norris venceram seus confrontos e não permitiram a ascensão alviverde na tabela.

O preço a ser pago pelo desempenho acima do esperado no campeonato nacional foi a não-priorização da Copinha de Amistosos. Para continuar com chances matemáticas de título, o Taquaraço fez uma partida de exceção na penúltima rodada em confronto direto contra a equipe do InSunOs, que poderia sagrar-se campeão antecipadamente. O clube alviverde obteve seu objetivo no momento (goleada de 4×0 sobre o futuro campeão do grupo), mas apresentou-se muito desgastada para o confronto decisivo contra o Cubo Mágico na mesma semana. A chance de um resultado positivo na Copinha foi trocada pelo sonho de ser campeão no campeonato.

A consequência dessa troca foi a “classificação” do time para a Xícara, competição de baixa reputação que reúne os clubes desclassificados na fase de grupos da Copinha. A final dessa competição seria realizada contra a antiga equipe do salão de beleza Millennium, atual Tequilleros e futuro sabe-Deus-o-quê. Como já era esperado, o time adversário “arregou” e não apareceu para a partida. O escrete taquarense foi constragidamente declarado vencedor da partida, repassando o troféu indigesto para um discípulo do “Amarelão”.

0

Parabéns, Taquaraço.

O título da Copinha não veio. Na final contra o fortíssimo Diagonal, o Taquaraço lutou bastante mas não conseguiu superar a diferença entre estágios de preparação entre os dois clubes. O alviverde até saiu na frente do placar, gol aliás prometido por Marko Brkovic. Mas ao final do primeiro tempo a equipe não conseguiu suportar a pressão adversária e tomou dois gols, aos 39 e 40 minutos.

Na volta do intervalo, o bombardeio enviesado persistiu. O treinador tentou de todas as formas mudar o panorama do jogo através de substituições. Faltando pouco menos de 20 minutos para o término da partida, o comando taquarense realizou sua cartada ousada: retirou o zagueiro central para a entrada de Péter Erdős como terceiro atacante. E nesse tudo ou nada, o Taquaraço acabou sendo castigado ao final da partida: dois gols aos 41 e 42 minutos de jogo. O treinador não se omitiu de nenhuma pergunta na zona mista ao final da partida:

– Primeiramente, gostaria de parabenizar o treinador wbasso: o Diagonal tem todos os méritos por esse pentacampeonato. O Taquaraço começou como azarão e chegou até a final. Mas o que importa realmente pra torcida é faixa no peito e taça no armário. Assumo a total responsabilidade dessa derrota.

O treinador ainda ponderou sobre quais fatores podem ter sido determinantes para o resultado:

– Evidentemente ainda existe um desnível no tempo de maturação das equipes. Esta é a primeira final do Taquaraço, enquanto era a quinta ou sexta do Diagonal. Além disso, tentamos realizar um planejamento de rotação de jogadores, mas após quatro partidas decisivas alguns atletas chegaram a esta final extenuados, tanto física quanto mentalmente. Talvez tenha sido por isso as desatenções que originaram gols nos últimos minutos de cada tempo. Talvez também a operação que o presidente do clube teve que se submeter nos últimos dias tenha tirado um pouco o foco da equipe e… Não quero prosseguir com mais avaliações públicas sobre motivos desse segundo lugar, isto é assunto de economia interna e podem ter certeza que será amplamente discutido entre a comissão técnica. Agora é vida que segue, novos desafios na V divisão.

0

E que venha o Diagonal!

Noite de jogo na Copinha. E não um jogo qualquer. Nunca antes o Taquaraço havia avançado até as semifinais da competição, torneio recheado de clubes mais ricos. Quis o destino que o adversário em busca pela final fosse outra equipe emergente no contexto dos Amigos do Kickers: a equipe irmã do Arkantos Warriors. Mas engana-se quem pensa que o jogo seria mais fácil do que enfrentar algum medalhão das antigas, como o escrete enfrentou nas Quartas-de-final.

As maiores valências da equipe comandada pela dirigente Tatiana Schmitt são o forte ataque e a busca pelo domínio do meio-campo, estratégia principal utilizada pelo alviverde. A comissão técnica taquarense gastou os miolos durante a semana pensando na melhor estratégia para conter a fortíssima meia cancha da rival, e acabou chegando a uma conclusão, citada por John Hardman na entrevista coletiva ao final da partida:

– Percebemos que mesmo atuando fora de seus domínios, era provável que a equipe do Arkantos apresentasse maior volume do meio-campo. Desta forma, tivemos a preocupação de montar a equipe mais equilibrada possível, não sacrificando os demais setores da equipe apenas para reforçar o meio. O resultado do jogo mostra que essa foi uma estratégia correta.

O Taquaraço acabou finalizando o jogo em 4×1 e carimbando sua vaga para uma final inédita contra a equipe do Diagonal, que despachou o já tradicional selecionado do Fox. Brkovic não fez gol mas saiu com o troféu de melhor em campo. E ainda por cima prometeu:

– Não fiz gol na semi, mas o torcedor pode estar certo que irei balançar a rede do Diagonal na final!

Com uma promessa dessas, não há torcedor que não fique confiante e sinta que é possível cometer o crime de sair como campeão da Copa de Amistosos, o título mais cobiçado na história pelo Taquaraço.